The Walking Dead S07E08- Crítica

Avaliação: 2.5 Stars (2.5 / 5)

Como já falei em vários outras resenhas de Walking Dead, eles sempre abrem e fecham esses ciclos de 8 episódios com muita ação e sangue. Claro, isso acaba anestesiando o espectador por algumas semanas enquanto eles começam a enrolar durante 3 ou 4 episódios seguintes. Dito isso, Hearts Still Beating, que é o nome desse oitavo capítulo, mostra muito mais calmo do que estamos acostumados em relação aos mid-season da série. E mais uma vez, como já falei antes, a série não sabe fazer drama e bons diálogos, e foi isso que prejudicou bastante o episódio.

Aqui talvez tenhamos o episódio dessa sétima temporada que tenha distribuído mais democraticamente o tempo de tela de seus personagens. Até Carol e Morgan aparecem, com um personagem do Reino tentando convence-los a lutar contra Negan. Aqui é bastante triste o que estão fazendo com a Carol, já que a personagem parecia ter se achado como ‘senhora motherfucker que mata todo mundo’, mas que do nada resolve querer ficar trancada dentro de uma casa. Muita incoerência de desenvolvimento da personagem.

Michonne, que continua com seu plano estúpido de tentar matar Negan, é levada à um lugar perto de seu acampamento, mas desiste de tentar enfrentá-lo em uma cena totalmente sem sentido. Como que a mulher a deixa matar e fugir ilesa, se poderia muito bem tê-la levado até os outros salvadores? E mesmo que morresse ali, ao menos levaria Michonne com ela. Vergonhoso.

Vergonhoso, aliás, é o fato da série estar desperdiçando o potencial de seu grande vilão. Se em suas primeiras aparições, o personagem despertava interesse pelo seu charme ameaçador e humor negro, a falta de nuances e variação na interpretação começa a transformar os maneirismos de Jefrrey Dean Morgan em algo irritante. Além do fato do roteiro não deixa-lo fazer vítimas importantes. Como que Rosita atira no Negan frente a frente (nem vou comentar a conveniência do roteiro sobre como o tiro acerta a lucille), e o vilão poupa a moça? Cadê as consequências das atitudes e o peso que elas acarretam?

Ao menos o episódio serve para mover as peças para um futuro enfrentamento aos salvadores. Com Daryl conseguindo fugir e juntando-se ao Rick e Maggie em Hilltop. Interessante como a arma do Rick devolvida ao mesmo pelo Daryl simboliza o retorno daquele protagonista que sempre conhecíamos nele. Assim como a Maggie pode estabelecer-se como a líder da comunidade de Hilltop, talvez ganhando mais espaço na série, o que seria ótimo, já que é uma ótima personagem.

Hearts Still Beating é um mid-season um pouco decepcionante em seu roteiro e em suas escolhas errôneas. E mesmo que coloque todas as peças prontas para a guerra contra os salvadores, conhecendo a série sabemos que isso pode demorar mais do que queremos para isso acontecer. Os personagens continuam mal aproveitados, principalmente o Negan, e a série parece não chegar à lugar algum. Só esperamos que nos próximos episódios que saem em fevereiro o Daryl faça alguma coisa além de andar de moto e ser preso. Esperamos…

Curta nossa página no Facebook!

Comentários no Facebook