American Horror Story: S06E05- Crítica

Avaliação:3 Stars (3 / 5)

Em sua primeira metade, American Horror Story Roanoke deu resquícios que iria ser genérica (primeiro episódio), e brilhante (terceiro). Em seu quarto capítulo, mesmo não sendo impecável, conseguiu segurar bem o suspense e ir dosando as informações dadas aos espectadores. E em seu quinto episódio a série perde um pouco de sua fluidez, mas ainda sim consegue prender o espectador pelos seus personagens e pela vontade de saber o desfecho de tudo.

Logo no início, mais um longo flashback mostra o que parece ser finalmente os verdadeiros donos da casa que carrega tantas tragédias em sua existência. A família Mott, liderada por  Edward Phillipe Mott (Evan Peters), que foi o responsável por construir a casa em Roanoke, e que aparentemente ali foi a origem de todos os desastres posteriores já mostrados na série.

De volta ao presente, vemos a açougueira e os colonos na porta da casa tentando pegar Flora para sacrificá-la. Enquanto Matt, Shelby e  a garota tentam escapar, todos os demônios existentes na casa perseguem os três. Então surge uma aberração que é idêntica à do filme  O Grito (2004) e tenta atacar Flora. Essa criatura ainda não havia aparecido na série, e tampouco sabemos sua origem e se ela terá mais espaço no decorrer dos episódios. De repente, Edward Phillipe Mott ajuda os três a fugir por uma passagem secreta. Mas por que ele tenta ajudar, diferente dos outros? Seria porque ele é o verdadeiro proprietário da casa? Quais suas intenções? mais mistérios são estabelecidos.

No fim dessa sequência, há a morte inesperada da açougueira, traída por um de seus próprios seguidores, culminando na chegada de Lee, que acabara de chegar da delegacia, ajudando Shelby, Matt e Flora a escapar. No fim, nas cenas de depoimento dos envolvidos, tomamos conhecimento que Shelby ainda sonha com a açougueira, e que esse sonho não consegue ir embora, mesmo com terapias e yoga.

O que parece ser um final feliz para os envolvidos talvez seja apenas o início do que verdadeiramente é Roanoke, pois o próprio Rya Murphy já disse que um grande Plot Twist está por vir e que a série pode ser dividade igualmente pela metade de seus episódios. Ou seja, o capítulo 6 promete ser revelador para desvendar os mistérios colocados até agora (que não são poucos). A cada episódio vemos que os personagens que mais se destacam na narrativa não são nem de longe os principais, mas sim a própria casa. Seu passado sangrento sempre esteve no centro de todo plot do roteiro.

Teria a açougueira realmente morrido? Por Que Edward Mott ajudou os moradores da casa? E a personagem da Lady Gaga? Por que os sobreviventes estão dando depoimentos para o que parece ser um documentário? E por que os atores que dão esses depoimentos não são os mesmos que vemos na narrativa? Aguardemos o próximos episódio para obtermos ao menos algumas dessas respostas.

Gostou da crítica? Curta nossa página no facebook!

Comentários no Facebook