American Horror Story S06E04- Crítica

Avaliação: 4 Stars (4 / 5)

Depois de um excelente episódio, American Horror Story está pronto para estabelecer a qualidade que veio crescendo gradativamente nessa temporada e igualar de vez o alto nível que teve nos seus primeiros anos. Nesse quarto capítulo, a série continua apostando no formato de falso documentário, que funciona em algumas ocasiões, e em outras serve apenas para preencher o tempo do episódio ou explicar algo que o espectador mais atento já sabe.

Logo no início, Shelby toma satisfações com Matt sobre a cena onde ela o viu praticando relações sexuais com uma mulher estranha na floresta no episódio passado. Ele nega veementemente, e com uma boa atuação de Cuba Gooding Jr, a cena é eficiente em retratar o alto grau de nervosismo de ambos os personagens com tudo aquilo que está acontecendo. Interessante notar como o trio Matt, Shelby e Lee vai se despedaçando em termos de confiança mútua, e que isso parece ser  o tema central desse início de temporada, já que todo o fio narrativo envolve alguma história contada por algum personagem, e nem eles nem nós espectadores sabemos quais são ou não verdade.

O Homem que apareceu no vídeo explicando a história das enfermeiras da casa também aparece na casa no momento em que o homem-porco ataca o casal. Nesse momento ele proclama a palavra Croatoan, fazendo com que a aberração vá embora. Logo após isso o homem conta sua origem e explica o que parece ser o motivo de todos esses acontecimentos bizarros na casa. Há então outro dos ótimos flashbacks nessa temporada explicando o que aconteceu com as irmãs enfermeiras.

Outro personagem que volta a dar as caras é Cricket, ele surge dizendo que encontrou-se com a açougueira e então vai à floresta buscar respostas com a personagem da Lady Gaga (Priscilla), que já deu as caras no último episódio, mas sua origem e motivação ainda continua misteriosa. Cricket então descobre que ela é na verdade a comandante por trás de tudo que está acontecendo na vila. E com uma habilidade parecida com a do corvo de três olhos da série Game Of Thrones, ela toca na mão de Cricket e o leva para o passado, mostrando pra ele toda a origem da colônia perdida de Roanoke. Seria essa a conexão de Roanoke com as outras temporadas da série, pois já que ela pode se transportar para outras épocas isso pode render bons ganchos com as demais histórias. Mas é estranho notar que a origem de todas as atrocidades que a açougueira comete mostrada aqui difere com a história contada por Cricket e mostrada em um flashback no episódio passado. Estaria Cricket mentindo? É algum furo de roteiro? Saberemos nos próximos capítulos (espero).

No fim do capítulo, Matt e Shelby conseguem recuperar Flora, que estavas prestes a ser brutalmente assassinada pela açougueira como forma de sacrifício. Infelizmente, Cricket acaba no lugar da garota e é morta.

Apesar de a cada episódio adentrarmos mais na história de Roanoke, o artifício de as informações serem sempre contadas por outros personagens e mostradas em forma de flashback acaba cansando um pouco. Além de sempre termos a impressão que as histórias do passado da vila serem muito mais interessantes que a do passado, assim como aumenta nossa curiosidade de como tudo irá se conectar com o presente.

Apesar dos problemas de narrativa, o texto fluiu bem e as interpretações seguem em um bom nível. Chegando à sua metade de temporada. American Horror Story consegue prender o público com bastante mistério e até com teorias do que pode vir a acontecer no desfecho da história, só nos resta esperar.

Comentários no Facebook