American Horror Story: 6º Temporada- Piloto

O grande problemas das séries em formato de antologias é que fatalmente a qualidade de suas histórias oscilará em algum momento. True Detective, por exemplo, foi aparentemente jogada no limbo depois de seu segundo ano inconstante. E American Horror Story chega à sua sexta temporada com a difícil missão de se restabelecer depois de perder o fôlego após seus dois primeiros anos. Se em Hotel, Lady Gaga conseguiu ao menos suprir parcialmente a ausência de Jessica Lange, que sempre foi o grande nome da série, a temporada atual deve segurar as pontas sem nenhuma de suas divas. E a missão vai ser muito dura.

A história da temporada atual é baseada na lenda de Roanoke, e narra a história de Shelby(Sarah Paulson) e Matt( Cuba Gooding Jr.), um casal que se muda para uma casa no campo em Roanoke, Virginia, e descobrem uma série de acontecimentos estranhos nos arredores da residência. Matt trabalha longe e tem que deixar sua esposa sozinha em casa, que começa a ver coisas estranhas e assustadores quando sozinha. Matt ao desconfiar que a esposa esteja vendo alucinações devido à seu trauma da perda do bebê, chama sua irmã para fazer companhia para Shelby, mas acaba constatando que eram muito mais que alucinações.

Algo que American Horror Story sempre fez muito bem foi imprimir uma identidade visual muito característica. Somando influências da estética de Tim Burton com alguns toques de expressionismo, Ryan Murphy sempre entregou visuais estonteantes, mesmo que o enredo não acompanhasse seu alto nível. E no piloto de Roanoke não temos essa peculiaridade. Os enquadramentos destorcidos foram deixados de lado para uma direção mais simples e direta. A casa em que a trama se ambienta também não oferece nada que pegue o espectador pelo aspecto de direção de arte. Não há  personalidade alguma no design de produção da série nesse primeiro episódio.

E se visualmente não há nada que mereça destaque, o roteiro segue a mesma linha. Durante todo o episódio vemos uma festa de momentos clichês e criações de suspense artificiais. Apesar de apresentar bem os personagens principais, emulando uma espécie de documentário falso, o episódio segue sem surpreender nem despertar curiosidade.

Mesmo que alguns personagens ainda faltam aparecer na trama, American Horror Story começa muito desinteressante seu sexto ano. Talvez uma alternativa mais benéfica fosse um hiato de 2 anos a cada nova trama. Mas sabemos que do ponto de vista financeiro isso é inviável, e não nos resta esperar os próximos episódios e torcemos para que a série melhore.

Curta nossa página no Facebook!

Comentários no Facebook