TOP 5 ÁLBUNS DE HARD ROCK ANOS 2.00O

5- CHICKENFOOT-CHICKENFOOT

chickenfoot

 

Supergrupo formado por Sammy Hagar (ex-Van Halen), Joe Satriani, Chad Smith (Red Hot Chilli Peppers) e Michael Anthony (ex-Van Halen), a banda tem uma proposta muito clara: fazer um hard rock farofa sem firulas e bem direto. Com todos os músicos nitidamente se divertindo tocando, o álbum tem aquela vibe bem despretensiosa, mas não menos eficiente.

Chickenfoot traz um tracklista muito coeso, com praticamente todas as faixas legais e divertidas. Sammy está cantando como nunca, Michael e Chad formam uma cozinha muito entrosada e Joe Satriani desfila uma enxurrada de riffs por todo o disco. Considerado um dos melhores trabalhos de 2009, a união desses músicos deu tão certo que logo lançaram outro álbum, o II em 2011.

Sem querer mencionar destaques individuais, pois todas as faixas são muito boas. Chickenfoot é a prova de que não precisamos de arroubos técnicos ou muita complexidade na estrutura das músicas. Precisamos apenas de bom gosto, nada mais.

 

4- THE CULT- BORN INTO THIS

hqdefault

 

Com mais de 30 anos de existência, o The Cult talvez seja daqueles exemplos de bandas que nunca conseguiram o sucesso que realmente mereciam ( e talvez um dia saia um top 5 com essa categoria).

O grupo já flertou com gothic rock no álbum love (1985), passando pelo hard com influências do AC/DC em Eletric (1987), o Cult chega em Born Into This com uma bagagem suficiente para seus músicos se sentirem a vontade para criar aquilo que suas mentes criativas permitirem.

O Tracklist é bem diversificado. Com faixas mais pesadas como I Assassin e Iluminated, outras mais divertidas como Dirty Little Rockstar e Savages. A influência do The Doors vai além da voz e visual do vocalista Ian Astbury,e aparece em Holy Mountains e The Sound Of Destruction. Confira sem medo esse petardo do Cult!

 

3-TEMPESTT – BRING ‘EM ON

tempestt_large

A única banda brasileira da lista, Tempestt foi um sopro de genialidade em meio a um fim de década morno para o rock/metal. Composta por Bj nos vocais, Edu Cominato na bateria, Leo Mancini na guitarra e Paulo Souza no baixo, a banda lançou sem primeiro álbum já mandando muito bem.

o Tempestt desfila um hard rock com fortes influências de AOR e rock progressivo, e não deve em absolutamente nada às bandas gringas. Com o Journey, Aerosmith, Jeff Scott Soto e Toto como influências, o grupo demonstra uma maturidade de veteranos durante o álbum. Os Destaques ficam para as faixas Faked By Time, Bring ‘Em On, Too High e Fallen Moon.

 

2- AUDIOSLAVE-AUDIOSLAVE

c9dab1b2

Formada da união dos integrantes do Rage Against The Machine com a adição de Chris Cornell, o Audioslave criou seu próprio hype. Seu álbum de estreia era um dos mais aguardados do ano de 2002, e definitivamente ele atendeu às expectativas. Apostando em um hard rock com mais influências de classic rock, com um som menos pesado. A sonoridade está mais fluída, com mais desenvoltura. O debut foi um grande sucesso de crítica de de público. E não era pra menos: músicas como Show Me How To Live, a abertura com Cochise e Gasoline possuíam um punch incrível. As baladas Like a Stone e I am The Highway também fizeram bastante sucesso.

A banda deu seguimento com outros dois álbuns de estúdio antes de se separarem. Mas sua de estreia ainda figura coma um das mais marcantes dos anos 2000.

 

1-WHITESNAKE-GOOD TO BE BAD

0693723981307

O Whitesnake foi de longe a banda que mais conseguiu adequar-se às tendências musicais ao longo dos anos. No início de sua carreira, no final dos anos 70, ela praticava uma mistura de hard rock com blues bem carregado e executado. Nos anos 80, a banda fez a transição para aquele hard rock característico da década, também chamado de Hair Metal, quando lançou alguns de seus melhores trabalhos. Depois de alguns anos fora da cena, David Coverdale retorna com aquele que considero o melhor álbum da banda: Good To Be Bad.

Soando muito pesado, principalmente nas faixas Lay Down Your Love, na faixa título e em Call On Me, Goog To Be Bad possui um tracklist impecável. Um dos maiores feitos do disco foi ter conseguido atualizar seu som, sem deixar suas características marcantes de lado. E ainda possui uma produção poderosa, sem ficar demasiadamente eletrônica (Saints Of Los Angeles, do Motley Crue é um bom exemplo). No disco, ainda há espaço para as baladas corriqueiras da banda, como All I Want All I Need e Summer Rain. Vida longa ao Whitesnake!

 

Quais seus melhores álbuns de hard rock dessa época? comente e curta nossa página!

Comentários no Facebook